A minha experiência como lojista

Não foi de bom agrado que me meti neste emprego. Fui numa de ter um salário fixo e de procurar algo o mais depressa possível. Estive atrás de um balcão durante 4 meses. Foi o tempo suficiente para perceber que, a minha paciência não era assim tão infinita. 

A primeira coisa que percebi logo no primeiro dia, foi o respeito que ganhei por todas as pessoas que trabalham por detrás de um balcão, seja este qual for. 
Dar os bons dias não custa e esboçar um sorriso também não. Não é fácil lidar com pessoas que se julgam e que mandam na loja mesmo quando não compram nada.

Lá na loja fazemos embrulhos gratuitos. Os clientes agradecem, mas há alguns que abusam da generosidade, ao ponto de comprarem noutras lojas e pedirem para embrulhar na nossa. Há também clientes que reclamam com a cor do papel e com o facto de não termos laços. Tive a sorte de ter uma mulher a reclamar com a forma como embrulhava e outra que me pediu para embrulhar 4 livros de colorir, em separado. 

Mas há clientes que nos agradecem pela nossa sinceridade. Sempre disse, caso não tivéssemos na loja os produtos que os clientes pedissem, eu iria procurar ou indicar outras lojas. Um cliente ligou para a loja a agradecer por isso. Assim vale a pena. 

Houve duas situações que me marcaram pela negativa. Ambas foram trocas. Uma era por um artigo danificado e outra por fora de prazo. No caso da troca fora de prazo, a senhora tratou-te abaixo de cão. Sabem porquê? Porque a política da loja é "Trocas no prazo de 15 dias, incluindo o dia de compra". Já tinha passado um mês. A senhora cheia de manias berrava em plenos pulmões "Incompetente, vaca de merda..." e eu só já mordia a bochecha para não chorar. Calhou ser na hora de entrada da outra colega e esta fez o favor de tratar do assunto da melhor maneira. 
A outra troca também foi entre troca de turnos, mas o homem queria o dinheiro de volta. O homem tratou-nos mal e pediu o livro de reclamações. A responsável de loja ligou para os patrões e estes lá deixaram dar o dinheiro. 
Isto tudo para dizer o seguinte, há regras e são para cumprir. Se querem respeito, respeitem os outros primeiro. Não é a chamar vaca ou incompetente que conseguem as coisas mais rápido, o que vos pode acontecer é termos de chamar o segurança. 

Continuando...

Há horas mortas, e um centro comercial durante a semana depois das 20h, é horrível. Por incrível que vos pareça, quando temos mais pressa para fechar a loja e ir para casa é quando os clientes entram às 22h55 na loja. Pessoal! Só vos tenho a dizer o seguinte, ide à merda! Na minha cabeça só os enxovalhava mas a minha cara mostrava um sorriso "vê lá se te despachas que não tenho a noite toda..." 

Se procuram algo em concreto, peçam ajuda, pois nós servimos para isso. Não é desarrumar tudo e no fim perguntar "Olhe, vocês não têm?". 

Fui-me embora porque surgiu-me um projecto do qual não podia dizer, não mas ainda faço horas aos fins-de-semana. 

Esta experiência tem sido a melhor e a pior da minha vida. 
Sabem uma coisa? Prefiro crianças aos gritos do que pais mal-educados. 

O meu avô

Ele preocupa-se mais com os outros, do que com ele próprio. Ele ri-se com tudo e com nada. Ele parece um rapaz pequeno no que diz respeito a brincadeiras. Ele é um homem trabalhador. Ele foge do telefone como eu fugo das abelhas. 
Ele não faz batotice a jogar ao Uno. Ele é o meu avô.
Porta-te bem, é o que ele me diz sempre. Eu bem tento, é o que lhe respondo. Não são as palavras que vão demonstrar a imensa gratidão que tenho para com ele. Se sou o que sou, é a ele que agradeço. Parabéns :)


Quando crescer quero ser como o meu avô.



Vamos Ler Harry Potter de J.K Rowling - Ler Faz Bem

Classificação: 4 estrelas (ambos)

Harry Potter e a Pedra Filosofal
Autora: J. K. Rowling
ISBN: 9789722325332

Edição ou reimpressão: 04-2002
Editor: Editorial Presença
Dimensões: 135 x 206 x 14 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 260
Harry Potter e a Pedra Filosofal de J. K. Rowling 
No dia que faz 11 anos, Harry Potter recebe a visita de Hagrid, descobre que é feiticeiro e tem a oportunidade de ir estudar para Hogwarts. 
Conhece Ron e Hermione e juntos irão descobrir um mundo novo. Mas a vida de Harry não será fácil, pois que todos os seus problemas fossem os exames finais... O mal anda aí, e Harry terá os seus amigos para o ajudar.



A história já todos a conhecem, não faz sentido alongar-me. 
Reler Harry Potter já estava nos meus planos, mas a Chris deu um empurrãozinho à minha vontade. 
Digamos que nunca levei esta saga até ao fim. Foi preguiça que me deu. O meu gosto à leitura não começou com Harry Potter, lamento. 
Conheci este universo através dos filmes e fiquei-me por ai. Foi numa promoção Leve 2 Pague 1 que adquiri os 2 primeiros livros e lá comecei a ler... Mas sem fim à vista. Está mais do que na altura de acabar com esta saga. 


Harry Potter e a Câmara dos Segredos
de J. K. Rowling
ISBN: 9789722325691
Edição ou reimpressão: 04-2000
Editor: Editorial Presença
Dimensões: 136 x 206 x 16 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 328

Harry Potter e a Câmara dos Segredos de J. K. Rowling
Harry está ansioso por voltar à escola mas antes, recebe uma visita inesperada de um elfo. Dobby deixa um aviso - Se Harry voltar a Hogwarts coisas más vão acontecer. - Mas ele quer voltar a ver os seus amigos. 
O regresso a Hogwarts não poderia ser mais atribulado e tudo piora quando algo surge escrito nas paredes da escolha, uma frase escrita com sangue.
Será Hogwarts um lugar seguro? O trio vê-se uma vez mais metido em sarilhos e aventuras. O perigo anda aí mas serão Harry, Ron e Hermione capazes de o enfrentar?


Sendo fã dos filmes, tenho a dizer que é a partir do 2º livro que se começam a notar diferenças. Todo o filme "Pedra Filosofal" segue a linha do livro, já na "Câmara dos Segredos", há detalhes que ficaram na obra literária. 
Confesso que a leitura é fácil e rápida, até rápida de mais pois ter de esperar até o próximo mês para ler a continuação me está a deixar ansiosa. 


The Undomestic Goddess de Sophie Kinsella - Ler Faz Bem

Classificação: 4 estrelas 

The Undomestic Goddess
Autora: Sophie Kinsella
ISBN: 9780593053850

Edição ou reimpressão: 06-2005
Editor: TRANSWORLD PUBLISHERS LTD
Dimensões: 160 x 240 x 35 mm
Encadernação: Capa dura
Páginas: 409

The Undomestic Goddess de Sophie Kinsella
Samantha Sweetting é uma jovem advogada que vive para o trabalho. Sonha tornar-se sócia da empresa e está a um passo de o conseguir, mas o inevitável acontece. No meio da sua desorganizada secretária encontra um caso, e esse mesmo fará perder o cargo que tanto ambiciona.
Na loucura do momento, Samantha agarra nos seus pertences e foge. Apanha o primeiro comboio e começa a emborcar álcool como se isso fosse resolver o problema. No meio disto tudo, perde-se e quando dá por ela, está numa entrevista de emprego para empregada doméstica. 
Estando embriagada e não sabendo o que diz, acaba por aceitar o cargo. 
Sam irá reaprender a viver e a aceitar o destino que lhe foi traçado, mas terá Nathaniel, o jardineiro da casa, para a ajudar. Mas será que Sam está preparada para abdicar da advocacia? 

Sophie, minha cara Sophie, onde vais tu buscar tanta criatividade? É o segundo livro que leio da autora e não podia estar mais do que satisfeita. A Inês é que tem a culpa. Mal começo a ler o primeiro capítulo e dou por mim - C'um caroço, isto vai dar molho

Pontos Positivos: A história é simples e eficaz. Leve, cómica e seguida. Tudo está bem estruturado. Uma bela comédia romântica, sem grande lamechice. 
O inglês é fluído e de fácil leitura. 
Os patrões de Sam são aquelas personagens impossíveis de não amar. Uns típicos saloios mas que lá no fundo são uns amores. 

Pontos Negativos: Fiquei com uma sensação agridoce no final. Aquela reviravolta podia ter dado noutra coisa.



Resistir à Tentação - Update 2






Diário de Bordo

Nem sei o que vos diga. Uma pessoa apanha-se com um ordenado fixo e dá nisto. Vou ter que parar de gastar de dinheiro assim, mas digam-me lá se não tenho bom gosto? A piada disto é que a minha mãe já me roubou t-shirts e a mala...