Quando os gajos do IAVE metem no exame este tipo de pergunta:

1. O que é que o autor quis dizer quando escreveu no texto a seguinte expressão " O João foi ao bosque e cagou azeitonas."

O que querem que eu responda? Ele foi ao bosque e cagou azeitonas ponto! 

O puto está a estudar para os exames e está a ser de rir...


O blogue vai sofrer fortes alterações.... Fiquem atentas!
Ah e já vos disse que vou fazer um vídeo com perguntas e respostas?
Quero as vossas perguntas!!!!


Nem todas as baleias voam de Afonso Cruz - Ler faz bem

Classificação: 3 estrelas 


Nem Todas as Baleias Voam
de Afonso Cruz
ISBN: 9789896651275

Edição ou reimpressão: 11-2016
Editor: Companhia das Letras
Dimensões: 145 x 228 x 19 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 280

Nem todas as baleias voam de Afonso Cruz

Em plena Guerra Fria, a CIA engendrou um plano, baptizado Jazz Ambassadors, para cativar a juventude de Leste para a causa americana. É neste pano de fundo que conhecemos Erik Gould, pianista exímio, apaixonado, capaz de visualizar sons e de pintar retratos nas teclas do piano. A música está-lhe tão entranhada no corpo como o amor pela única mulher da sua vida, que desapareceu de um dia para o outro. Será o filho de ambos, Tristan, cansado de procurar a mãe entre as páginas de um atlas, que encontrará dentro de uma caixa de sapatos um caminho para recuperar a alegria.


Sinopse da Wook

Não vou falar sobre o livro, porque não gostei da história. Gosto muito do autor e da sua escrita mas desta vez não gostei. A meu ver falta-lhe alguma coisa ou talvez tenha lido na hora errada. Uma coisa é certa, vou voltar a pegar no livro quando tiver mais vontade, e ai sim, dou a minha opinião.

Más línguas e boas conversas - Ler faz bem

Classificação: 3 estrelas 


Más Línguas, Boas Conversas
Autora: Tânia Rei
Data de publicação: Janeiro de 2017
Número de páginas: 152
ISBN: 978-989-51-9148-2
Colecção: Palavras Soltas
Género: Crónicas
Idioma: Pt


Más Línguas, Boas Conversas de Tânia Rei
A Sinopse da Chiado Editora está tão gira que nem vou dar ao trabalho de escrever uma...

"Imagine que está sentado numa mesa de café com um grupo de amigos. Entre um trago e outro de bebida surge um assunto, aleatório e de senso comum, que é desenvolvido entre todos. Atiram ideias, expressam a sua opinião, e, inevitavelmente, riem.
No final, o Mundo não ficou melhor, não há conclusões arrebatadoras, não há certezas irrevogáveis. Apenas continua a haver uma mesa de café, que há-de albergar novos amigos, novas conversas, e novas visões sobre o que nos rodeia.
Assim é o conteúdo deste livro. Ao longo de quase três anos, Tânia Rei partilhou no Jornal Terra Quente e no informativo digital Notícias do Nordeste autênticas conversas de café, em devaneios que oscilam entre a crónica e o texto de opinião.
Puxe uma cadeira, e venha conversar. "


A Tânia é minha conterrânea, e como boa mirandelense lá fui eu espreitar o livro dela. A rapariga leva jeito para a coisa, tem cada reflexão do dia-a-dia que dá ares ao Ricardo Araújo Pereira. A autora aborda temas tão banais que torna a leitura leve e rápida

Já a lia no Notícias do Nordeste (o blogue dela) mas agora a moça lançou-se para a rádio, quereis ouvir? Carregai aqui.

Com a parceria de


Quereis fazer perguntas à minha pessoa? 
Chegou a hora, toca a fazer perguntas parvas à Tim.
#Estousemideias #Vemdaiumvídeo

Babysitting


Babysitting – Loucura Fora de Horas 
Classificação IMDB - 6,4 
2014

Sabem o filme a Ressaca? Imaginem em versão para putos.
É o dia do seu aniversário mas o seu patrão dá-lhe uma tarefa, fazer de babysitter. Franck desiste da festa mas os seus amigos inconformados com a ideia decidem levar a festa até ele. O resultado? Vejam o filme. 
E não, este não é aquele tipo de filme onde todas as piadas estão no trailer.



Um senhor entrou na loja a pensar que esta estava vazia e peidou-se.
Não consegui controlar e soltei uma valente gargalhada. 

No próximo sábado


Será que nos podem ajudar a escolher um nome para a nossa equipa?

Tim de Colleen McCullough - Ler faz bem



Classificação:  4 estrelas

Tim
Autor:Colleen McCullough 
ISBN: 9789722529792
Edição ou reimpressão: 03-2016
Editor: Bertrand Editora
Idioma: Português
Dimensões: 150 x 233 x 16 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 272

Tim de Colleen McCullough 
Ele é um jovem com uma incapacidade mental mas com um corpo invejável. Mary é uma solteirona que já se habitou à solidão. Conhecem-se por acaso. Ela dá-lhe trabalho e ele aceita. No meio de tanto convívio acabam por se apaixonar. Os pais de Tim aceitam mas a sua irmã acha que Mary se está a aproveitar da incapacidade do irmão. Estará a sociedade preparada para um romance destes?


A história é simples e a premissa foi bem colocada. A leitura deste livro leva-nos a reflectir sobre um assunto tabu. Será um verdadeiro amor ou um amor por pena? Quero acreditar que seja amor e que ambos sabem o que sentem. 
Apesar de Tim ter um atraso, isso não o impede de amar. Ser doente não significa não ter direito de amar e hoje em dia, estar ou ser doente significa viver sob a pena da sociedade. Eles também têm o direito de ser felizes e de amar e ser amados. 
No fim do livro há uma situação que deixa Mary encavacada, no entanto não a magoa - mas eu fiquei. Como é que há pessoas tão mal intencionadas. Não julguem as pessoas pela aparência ou pela sua incapacidade. Conheçam-nas primeiro antes de julgarem. 

5 provas que mostram que sou a pior blogger de sempre

Sou pessoa para me esquecer ou para fazer tudo de uma vez. Tenho andado a passear e a conhecer coisas mas não tenho relatado nada por aqui, o que mostra o quanto péssima blogger sou. Há dias a Sofia perguntou se poderia participar num post sobre livros. Aceitei. Ela lembrou-me e eu bem tentei não me esquecer. Esqueci-me!!! Escrevi no próprio dia, na loja, enquanto atendia clientes. Bem tento mas o tempo não dá para tudo, ou melhor, dá-me a preguiça.


1. Péssima "relatadora" - Não sei dar opiniões. Podem sempre esperar de mim relatos sinceros e concretos mas nunca muito extensos, quer dizer, se tiver num dia inspirador. Vocês dizem sempre - Oh Tim, eu ligo muito ao que tu escreves - mas sejam lá sinceras, esperam sempre mais, certo?


2. Posso ter posts agendados mas esqueço-me de os publicar - Neste momento tenho cerca de 20 posts escritos mas esqueço-me de os publicar. Ah mas há aquela opção de agendar no blogger - Já tentei usar e planear mas aquilo não publica.



3. Vou a eventos e não tiro fotos - Seja a jantar fora ou a um lançamento de qualquer coisa, não tiro fotos a nada e quando me lembro já me estou a ir embora e ponho-me a pensar - era giro eu partilhar isto com quem me segue. Mas também quem quer saber como foi o lançamento do livro da Dolores Aveiro.



4. Quando estava desempregada era uma coisa - Tinha tempo, tinha ideias. Agora nem ideias nem tempo. Ter ideias, tenho mas pô-las em prática é que é mais difícil.



5. Dou calinadas ortográficas - A menina que defende a arte de escrever bem também dá erros que por vezes me passam ao lado. A pressa, o cansaço ou até mesmo a minha burrice dá nisso. 

Quando vais à casa de banho


e ouves um som vindo do teu lado e quando olhas para o chão, vês uma poça de mijo a vir na tua direcção... #háhomenscommaispontaria

Tão simples
Tão pura
Tão verdadeira 

13 factos enervantes na blogosfera

Numa conversa tardia com a Sofia, começámos a abordar os problemas da blogosfera. Depressa percebemos que a conversa teria pano para mangas. Convidei a Sofia de "A Sofia World" para a minha parceira de crime e escrevemos um post que esperemos que chame a atenção, mas no bom sentido. Queremos saber a vossa opinião, sejam sinceros!!!! 


- Maria vai com as outras - Basta uma ter uma ideia genial que 20 vão logo copiar. Quantos blogues fazem "Favoritos do mês"| "Tags", cada um à sua maneira mas que à partida já sabemos que logo no princípio do mês será um dos posts. O que é de mais, enjoa. A blogosfera está cheia de copy paste. Quando se tem um blogue, o leitor espera criatividade. Se vais copiar a ideia de alguém deixa se ser criativo. Tal acontece quando cria um blogue e te pões a "copiar" posts.

- Parcerias + Parcerias - Uma verdadeira blogger quando começa um blogue é por vontade própria e não para angariar patrocínios. Quantos bloggers não andam por ai para ter coisas de graça. Olhem o que recebi em casa... Tão giro! Ando nesta vida há 10 anos e só comecei a ter parcerias o ano passado. Escrever por gosto não se compra. Uma coisa é implementar publicidade nos artigos - o caso da primetag - outra é impingir aos leitores. 


- O outfit do dia, todos os dias - Quem fala em roupa, fala em comida. Bloggers de moda não é bem a minha cena, mas postar todos os dias roupas diferentes e sempre bem vestidas. Sorry, mas não acredito. Passo a minha folga de pijama ou com roupa velha. Não acredito que vocês se maquilhem todos os dias e postem. Acredito que se vistam e se pintam e depois voltem a vestir a roupa velha. Não me atirem areia para os olhos. Querem uma prova? A Sofia diz o seguinte - este não me faz diferença, porque sei que é mesmo tirar 500 fotos num dia e ir postando enquanto se está em casa de pijama a comer porcarias. – A moça ganha pontos pela sua sinceridade.

- Ter um blog dá dinheiro - Caso não saibam, eu e a Sofia estamos a nadar em dinheiro. Para quem não nos conhece somos a máfia da blogosfera, fazemos tráfico de likes. Caros leitores, lamento mas não dá. O meu blog rende cerca de 1 cêntimo por mês. 12 cêntimos no fim do ano. Que loucura, vou comprar uma carcaça. 


- A frase das redes sociais vira post no blogue - A Sofia disse que se já o viu no twitter e achou piada, acabou ai. Mas não é isso que acontece. O tweet vira post. Um post com uma frase pode ser simples e inovador, mas ver a mesma frase 4 ou 5x perde a graça. Mais: nem tudo o que colocamos nas redes sociais tem de ir para o blog. Convém ter material adaptado a cada rede.

- Não ter tempo | Estou cansada - Escrever isto no blog uma vez por graça, tudo bem, mas repetir uma vez por mês. Oh honey, estás a abusar da paciência dos leitores. Queres ter um prémio por teres vida? No one cares! Há bloggers que se matam a trabalhar e não vêem para o blog a queixar-se da vida que levam. Isso e pedir desculpa por andarem ausentes por andarem com muito para fazer. Ninguém tem de pedir desculpa por ter vida, por fazer coisas.


- O que gostavam de ver por aqui - Então o blog é teu ou dos leitores? O trabalho é teu não é dos outros. Façam o favor de vir cá a casa fazer-me o trabalho e depois comentem em baixo, pode ser? 
Uma vez de vez em quando, tudo bem, é tipo estudo de mercado. Mas se estiverem sempre a perguntar o que gostavam de ver parece que não sabem ter ideias sozinhos.

- Mentalidades fechadas - Todos concordam com todos. Vocês não têm opinião? Se calhar têm preguiça de escrever o comentário. Se é para dizer concordo, mais vale estarem quietos. Aprendam a dar valor à vossa voz. 


- Bipolaridade blogueira - Com a bipolaridade não se brinca mas há pessoal que abusa. Se estás triste e vais pôr no blogue vais acabar por contar o que se passa mas se no dia a seguir dizes que estás super feliz então para que foi aquilo? 

- Posts sub-desenvolvidos – há blogs em que parece que a pessoa que o escreve tem medo de se expressar. Ninguém quer ler algo e ficar com a ideia de que aquela pessoa podia ter dito muito mais do que aqueles dois ou três paragrafozinhos.

- O espírito de equipa… e a falta dele – há uns anos, os blogs gostavam de ir partilhando um ou outro post de outros blogs, quando estavam bons ou achavam o conteúdo relevante. Agora parece que dar espaço a outro blog no nosso blog ou nas redes sociais é contraproducente. E não devia ser. Tal como não devia ser um problema escrever um post baseado no post de outro blog e, no final, incluir um link para o post original. Dizemos que a blogosfera é uma boa forma de partilhar coisas mas quando se trata de partilhar coisas boas de outras pessoas a história muda. (não precisam de partilhar este post só para se sentirem melhor, nós perdoamos!)


- Posts cheios de nada – Porquê, oh porquê? Por que insistem em fazer posts só para encher? Continuo a achar preferível um blog que fique uns dias sem publicar a um blog que vá colocar um post da treta (sem conteúdo, diga-se) só para encher. Isto é um blog, não é um teste de Filosofia onde o importante é meter palha. Vamos lá acalmar, ok? Ok!

- Comentários com muitos links e poucas palavras – Ora bem, quem é que gosta de receber comentários? E quem é que gosta de receber comentários em que a quantidade de links para o blog, posts e redes sociais do comentador ocupa mais espaço do que o comentário propriamente dito? POIS!

Quando vais no autocarro


e te sentas ao lado de uma senhora de idade e esta está a ler um artigo com o seguinte título "Serão os vibradores perigosos?". 

O meu pé de laranja lima - Ler faz bem

Classificação: 3 estrelas 

Autor: José Mauro de Vasconcelos
Colecção: Obras de José Mauro de Vasconcelos
ISBN 9789898491886
Edição actual: 13ª
Páginas: 208
Apresentação: Capa mole
Dimensões: 130 x 198 x 16 mm
Idade: 12+


O meu pé de laranja lima de José Mauro de Vasconcelos 
Zezé é uma criança sonhadora e irrequieta. Os pais não lhe dão atenção nenhuma e os irmãos por vezes dão-lhe cabo da cabeça. Apesar da pobreza extrema, Zezé não se deixa abater e sonha ser rico, mas até lá usa a sua imaginação. 


Sinopse da Booksmile

Lembram-se de vos ter dito que encontrei livros no papelão? Este foi um desses livros. 
O meu irmão leu-o, pois o livro faz parte do Plano Nacional de Leitura e acabou por gostar e eu fui atrás dele e li também. 
A história é simples. Zezé é um menino que usa a imaginação para ultrapassar a sua pobreza. É uma criança irrequieta o que lhe traz alguns problemas. Quando ele começa a ganhar juízo, uma tragédia dá-se. 
Fui para esta leitura com as minhas expectativas muito altas e desiludi-me, pois achei uma história fraca, a personagem do Zezé enervou-me ao ponto de querer desistir do livro. 

Estás aflita para ir fazer xixi e...



Encontras uma raspadinha com dinheiro na casa de banho....

A Tim tem Insta - Março|Abril


1. A nossa biblioteca
2. A minha indumentária 
3. As minhas leituras


1. Os meus tênis 
2. O meu cabelo
3. A minha indumentária
4. A minha tromba


1. O meu ídolo


30.04.2007





Estamos no ano de 2004. Tinha 14 anos e na altura não tinha Internet em casa. Acabei por engraçar pelo rapaz através da MCM. Fui conhecendo a sua história. Fui ouvindo a sua música. Quando a minha amiga foi a França, pedi-lhe se me podia trazer o cd. A moça não quis acreditar na alegria que me acabara de dar, ao entregar-me o seu primeiro álbum - Je deviens moi. Ainda me lembro como estava vestida e o que estava a jantar... Guardo essas memórias parvas.
Guardei o cd religiosamente. Ouvia-o vezes sem conta. Melhorei o meu francês graças a ele. As minhas escapadelas internauticas à biblioteca davam-se nos intervalos da escola, queria estar a par de tudo.
Assim foi durante 2 anos. Muita coisa mudou. Os amigos mudaram, tal como a escola. Vivia tempos felizes e mais feliz era quando outro single surgia. 
Dia 30 de Abril de 2007 a MCM passava um especial só com músicas dele - Top Legend - o que eu estava feliz da vida. Ingénua ao alto nível, aquilo já era um especial de memória, mas a internet ainda era uma coisa que não abundava por aqui. 
Andei feliz nessa semana até ao dia 04 de Maio. Faltavam 10 minutos para a aula prática de Macs quando a F' veio ter comigo. Perguntou se podia falar comigo à parte. Preciso que te acalmes, mas vais ter de ter muita força. O teu cantor faleceu na segunda. Eu só lhe respondo, tu estás a gozar. O rapaz vai lançar um disco novo, vi há dias na Internet. 
As lágrimas já corriam e a F' só teve tempo de me abraçar. Não me recordo da aula, mas sei que fiquei a um canto e que a F' só me disse - vais ficar aqui quieta, vais chorar à vontade e nem sequer vais fazer o trabalho, eu faço-o por ti, pois sei o que é perder um ídolo. Ela já conhecia a dor, pois o seu ídolo tinha morrido no ano anterior. 
Chorei até me doerem os olhos, e acreditem não é de todo agradável. Durante algum tempo andei em baixo, mas as minhas amigas tentavam animar-me, a Tim surgiu assim, de uma brincadeira em 2007. Acabei por ter Internet em casa em Junho do mesmo ano, e saquei tudo o que podia dele. Músicas, vídeos e artigos. Conheci melhor a sua doença e vi crescer a associação.

Perder um ídolo pode parecer estúpido, mas sem darmos conta é neles que depositamos a nossa força e a nossa admiração. Nunca, jamais em tempo algum gozem com os ídolos dos outros, sejam eles quem forem. Todos temos um. O meu era e é o GL. Esta é a minha história. Faz hoje 10 anos que Grégory Lemarchal morreu. E com ele, morreu uma parte de mim. 



A MCM acabou por deixar de passar os seus videoclips mas de vez enquanto lá passa um, e eu sinto-me novamente com 16 anos. Jovem, inocente mas sobretudo cheia de esperança.

Sextape


Sextape aka Sex Tape - O Nosso Vídeo Proibido
Classificação IMDB - 5,1 
2014

Um casal quer reacender a chama e para isso têm a brilhante ideia de fazer uma sextape. Mas não a apagam, metem-na da cloud. Qual é o problema? Eles não sabem usar a cloud, mas será que alguém sabe mexer naquilo?

Não fiquei fã do filme. Uma simples comédia para quem não tiver nada para fazer e quer ver o rabo da Cameron Diaz. Já o Jason Segel, estava à espera de melhor.

Can you keep a secret de Sophie Kinsella - Ler faz bem

Classificação: 4 estrelas 

Can You Keep A Secret?
de Sophie Kinsella
ISBN: 9780552771108

Edição ou reimpressão: 03-2003
Editor: TRANSWORLD PUBLISHERS LTD
Idioma: Inglês
Dimensões: 127 x 199 x 23 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 368

Can you keep a secret de Sophie Kinsella

Emma é uma rapariga que não se queixa de nada. Tem segredos como qualquer pessoa e um deles é ter medo de voar. Graças a uma turbulência, ela agarra-se a um desconhecido e revela todos os seus segredos. Pensa que nunca mais irá ver aquele desconhecido, mas era o seu Big Boss. O Big Boss tenta mostrar a Emma que ter segredos é normal, mas quer mostrar-lhe também que a sinceridade é mais do que uma vantagem.  


A Izzie achou que eu devia começar a ler Sophie Kinsella. Sendo ela uma fã da autora, emprestou-me este. Confesso que não estava para ai virada mas a história prendeu-me logo de início. A cada capítulo temos a sensação de entrar num universo Disney mas numa versão para adultos. 
Se todos os livros forem como este, ficarei rendida à autora. A leitura é leve e promete muitas gargalhadas. Ler em inglês tem-se revelado uma experiência única e o que que pensava que outrora estava esquecido afinal ainda cá está. 

5 livros que me marcaram - Dia do livro


Fui convidada pela Sofia do A Sofia World para um desafio. Não sou destas coisas mas a moça lá me persuadiu. O desafio é simples - revelar 5 livros que me tenham marcado de alguma forma.

Um romance cliché. Uma história de amor que tem veracidade e que não deixa ninguém indiferente. 

Paulo Coelho aborda o tema suicídio de forma frontal. Pelos olhos de Veronika, temos a noção que a mesma se arrepende mas que quer aproveitar todas as oportunidades. O final é do caraças e faz-nos reflectir sobre todas as escolhas que já fizemos na vida. 

Ao ler o livro da Sofia apercebi-me das coincidências e dos sentimentos que outrorá estavam esquecidos. Este livro é uma chapada de luva branca para aqueles que um dia dizeram - Não gosto de ti porque... - Todos temos defeitos, e um dia vais-te aperceber do teu moço ;)

Christiane teve a coragem de assumir o seu erro, mas o vício falou mais alto. No entanto, quis mostrar ao mundo o que a droga lhe fez. Chega a ter detalhes nojentos que todos tentam esconder mas que Christiane fez o favor de partilhar. 

Da escrita à história, este livro deu-me uma grande lição de vida. Não é de todo um romance, é mais uma história de uma família que foi separada devido a uma doença mas que nunca perdeu a esperança de voltar a reencontrar-se.  

Espreitem o pessoal que também aderiu à ideia 
- Infinito Mais Um - http://www.infinitomaisum.com/
- Joan of July - http://joanofjuly.com/

CAMINHADAS VIVAFIT - DIA 20 DE ABRIL ÀS 21H

As caminhadas do ginásio Vivafit de Santo António dos Cavaleiros voltaram!

Partida: Frente à farmácia de Santo António dos Cavaleiros
Chegada: Parque da cidade em Loures com direito a uma aula de Sh'bam

Inscreva-se no ginásio Vivafit de Santo António ou ligue
969169339 -913216671

Diz-lhe que não da Helena Magalhães - Ler faz bem

Classificação: 5 estrelas

Diz-lhe que Não
Autora:  Helena Magalhães
ISBN: 9789896268077

Edição ou reimpressão: 03-2017
Editor: A Esfera dos Livros
Dimensões: 159 x 233 x 14 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 256

Diz-lhe que não da Helena Magalhães 
Helena Magalhães, decorem este nome e dirijam-se à livraria mais próxima. Ela já nos aliciou através do seu blogue com a crónica "O amor é outra coisa", onde nos revela situações caricatas que mais parecem novelas mexicanas.



Olhem para o livro como se fosse um auxiliar de estudo para todas as mulheres portuguesas. Cada capítulo diz respeito a um tipo de homem -  O Sem Cojones, O Poeta, O Telecomunicações - onde são reveladas histórias e algumas dicas que poderão ajudar a identificar os patifes que por ai andam.
No entanto, o livro fala do amor, aquele que nos deixa cegas e que nos leva às maiores loucuras. Aquele que pensamos que merecemos e que nos deixamos agarrar à ideia "mais vale assim do que nada" porque o medo de ficar sozinha é real. 

É bom relembrar que devemos dizer sim ao amor, mesmo que a desilusão esteja ali ao lado, como a própria Helena o diz. 

P.s:. Estão garantidas boas gargalhadas e quero um autógrafo moça ;)

Lançamento - 19 de Abril - Encontros que a Memória Guarda, de Alfredo Duarte Costa


Resumo da Semana #9


Fui ver o "Beauty and the Beast"


Oferecemos um livro sexual a uma instrutora 


Fui ao lançamento das novas coreografias


Fui ao lançamento do livro da Dolores e da Kátia Aveiro, e tirei foto com elas...


Perdi a cabeça na Disney e na Fnac 

Promoções de ler e chorar por mais




No sábado vou à Fnac perder a cabeça.
Cliquem nas imagens para saber o porque? 

Hidden Figures


Hidden Figures aka Elementos Secretos
Classificação IMDB - 7,9
2016

Enquanto os Estados Unidos e a União Soviética competiam a todos os níveis e apesar da segregação racial e sexual, estas 3 mulheres afro-americanas lutavam pelo bem do seu país, dando o seu tributo na NASA. 

Uma história verídica calha sempre bem nos Óscares. A escolha musical é bem diferente do que estamos habituados nestes tipos de filmes. As actrizes não podiam ser as melhores e a história é tão pura que é impossível ficar-se indiferente. Cheguei mesmo a relacionar com o filme "The Help".

Kirsten Dunst e Jim Parsons são 2 actores pelos quais nutro um grande carinho, conseguiram que esse mesmo carinho dê-se lugar à Tu estás a ver se levas.

10 perguntas que ficaram por responder em How i met your mother

Fez ontem 3 anos que How i met your mother chegou ao fim. Muitos odiaram, outros mostraram indiferença. Agora é tarde para mudar mas ainda existem perguntas pelas quais espero uma resposta.


1. A mãe morreu de quê? 
Matam a personagem pela qual esperámos 9 anos e dão-lhe uma morte muito xoxinha. Mas morre de quê? Pois aqui está um enigma tipo The Pineapple Incident, mas esse ainda teve resposta... 

2. Mas quem será a mãe da criança?
Eu sei lá. Será sempre conhecida pela #31. Os criadores podiam ter-se dado ao trabalho de escolher uma personagem random para fazer de mãe da criança. Ah ok, como não conhecemos a #7 da semana perfeita também não temos direito de conhecer a #31.



3. O Barney acaba sozinho?
Todos do Gang fundam uma família, já Barney anda por ai à deriva. Não encontra a sua cara-metade? Ele e a Robin faziam todo o sentido enquanto casal, mas todos temos direito a ser felizes e no fundo o Barney até é um bom rapazinho. 

4. Então a Robin não ia andar num touro mecânico?
Lembram-se do episódio em que a Robin descobre que não pode ter filhos? O Ted narrador diz que ela iria montar um touro mecânico. Os criadores em vez de gastarem 22 episódios num casamento falhado podiam ter tirado 5 minutos para a Robin fazer mais das suas famosas figuras. 


5. Sendo o Ted um romântico crente, porque demorou tanto tempo a casar com a Tracy?
I love you no 1º encontro com a Robin. Encontro de 2 minutos com a Stella. Um quarteto de cordas para a Robin. Uma noite romântica com a Victoria. E no fim, demorou uma eternidade para casar com a rapariga. O pedido foi giro mas o casamento não teve graça nenhuma. 

6. A sócia da mãe? 
Como já disse, tanta coisa para um casamento falhado e falharam em pormenores como este. Alguma sugestão?


7. A banda da mãe safou-se, ou tornou-se num fracasso?
Tivemos o prazer de conhecer o Darren, o vocalista, mas não conhecemos mais ninguém. Podiam ter tocado qualquer coisa no casamento, visto que a Cristina canta tão bem, mas não, gastaram tempo naquilo. No fim, não voltam a falar na banda... Esperemos que tenham tido sucesso. 

8. A Lily volta de Itália e continua a trabalhar no mesmo? E o Ted, volta a dar aulas ou continua a ser arquitecto?
Percebemos que a Robin continua a ser jornalista, que o Barney se torna blogger a tempo inteiro e o que Marshall se torna #judgefudge e o resto? Fica a vosso critério.


9. Como se chama o 3º filho de Lilly e Marshall?
O primeiro é Marvin, como o pai de Marshall. O segundo é Daisy. O terceiro é como o telespectador quiser...

10. Os pais da Tracy?
Nem se deram ao trabalho de os mencionar... 


Este sim, era o mistério que deveria ter continuado a ser mistério...

Gemma Bovary



Gemma Bovary
Classificação IMDB - 6,4
2014

No mesmo local onde Flaubert escreveu Madame Bovary, chega um casal de ingleses que procura a tranquilidade. O nome? Bovery. Coincidências? Muitas.
O padeiro da região começa a seguir a moça por perto, e entusiasma-se de tal maneira que pensa que terá sorte, como no livro... Mas não posso falar mais.

Acabei de ver o filme e a minha vontade era conhecer a história para poder comparar. Se alguém já leu o livro, veja o filme e compare. Sim, é mais um filme francês.

Um dia de David Nicholls - Ler faz bem

Classificação: 3 estrelas 

Um Dia
de David Nicholls
ISBN: 9789722631792

Edição ou reimpressão: 07-2010
Editor: Livraria Civilização Editora
Idioma: Português
Dimensões: 158 x 242 x 31 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 456


Um Dia de David Nicholls 
Dexter e Emma conhecem-se na noite em que acabam os estudos. Cada um podia ter seguido a sua vida mas acabam por se tornar grandes amigos. Um romance que floresce ao passar dos anos mas que acaba por nos dar uma lição de vida.


Fiz asneira. Vi primeiro o filme e só depois li o livro. Acontece que o filme é melhor que o livro. É estranho. Toda a escrita do livro dá a entender que o próprio é um guião. 

A leitura é rápida, a escrita é simples só que há muitos momentos "encher chouriços". Trata-se de um romance que lembra Romeu e Julieta, mas numa versão mais ligeira e cómica. 

O livro tinha tudo para dar certo, mas não deixa de ter um fim bem real. O fim choca, mas choca por uma razão. Os anos passam, as atitudes de ambos são parvas e quando realmente chegam a um consenso, a tragédia dá-se.
O autor quer lembrar ao leitor que a vida é um dia e a oportunidade de hoje pode já não ser a mesma amanhã. 

Ambas as personagens são de extremos e antagónicas mas no fim complementam-se. Dexter não passa de um homem que não quer crescer e que quer alguém ao seu lado que o possa ajudar a fazer as coisas certas da vida. Emma já não é assim, é a típica rapariga certinha que adora romances e que espera que o seu esteja para breve. 

Emma não vive sem Dexter e Dexter não vive sem Emma. Mas como tudo na vida, ambos fazem coisas pelas quais se arrependem e Dexter não é de todo aquilo que aparenta e Emma só quer a sua felicidade, mesmo quando ele a magoa.

Apesar de ser um bom livro, a minha sugestão é ficarem-se pelo filme...

Quando queres dormir mas...


O teu pai mais parece o dono da EDP


A tua mãe entra no quarto e começa aos gritos - Tens roupa para lavar?


O teu irmão acorda 1º e começa toda uma gritaria pois se eu acordo, todos acordam!


A minha vizinha decide usar saltos


E tu nem um ai soltas quando te levantas...