Ler faz bem #12

Classificação: 8/10

"Veronika decide morrer" - Paulo Coelho - Ainda estou em choque com o final. Adorei o livro, adorei as histórias e o que torna mais real é o facto do próprio escritor ter sido internado 3x num hospício. Um livro que vale a pena, pois possui relatos verídicos. O facto de Paulo Coelho ter introduzido um pouco de si no livro, torna a história mais apetecível. 

Na história são apresentadas 5 personagens. Cada uma com uma doença, cada uma com uma vida completamente normal, até ao dia. A história passa-se em Villete, um hospício na Eslovénia. Veronika decide por fim à sua vida, mas o plano não foi concluído. Quando chega ao asilo, é-lhe dito que o seu coração está fraco e que terá menos de uma semana de vida. Ficou em choque, mas ao menos o seu plano não tinha falhado... 
A notícia espalha-se e todos os pacientes começam a tomar consciência da morte, ao ponto de se perguntarem se estão realmente doentes.

Curiosidades: Durante a tentativa de suicídio, ou melhor, enquanto os comprimidos não faziam efeito, Veronika pegou numa revista e ficou indignada com uma situação, assim aproveitou e escreveu uma carta.... mais não digo.

Frases que me marcaram: 

  • "As mulheres quando se matam, escolhem meios muito mais românticos"
  • "A juventude é assim mesmo, estabelece os próprios limites sem perguntar se o corpo aguenta. E o corpo aguenta sempre"
  • "Foi tão bom que consigo ver amor em tudo, até mesmo nos olhos de um esquizofrénico."
  • " Cada ser humano é único, com as suas próprias qualidades, instintos, formas de prazer, busca da aventura. Mas a sociedade acaba por impor uma maneira colectiva de agir" - Por exemplo o teclado QWERTY
Ora bem, agora desafio-vos a pensar num comportamento colectivo, ou reflictam só um bocadinho sobre este facto. 



Sinopse Wook/Bertrand - «No dia 11 de novembro de 1997, Veronika decidiu que havia - afinal! - chegado o momento de se matar.» É assim que começa o romance de Paulo Coelho. Veronika é uma jovem eslovena que decide suicidar-se, cansada que está da vida que leva. Salva no último instante, dá entrada num hospital psiquiátrico. Aí conhece Zedka, internada por depressão, transformada à custa do tratamento numa «mulher louca» e feliz; Mari, advogada que integra o grupo A Fraternidade, organizador de palestras sobre a meditação sufi, e parte para a Bósnia em missão humanitária em busca de aventura; Eduard, um jovem belo e rico que se faz passar por esquizofrénico; e o Dr. Igor, o psiquiatra do hospital. O autor revelou ter estado internado num hospital psiquiátrico, experiência que lhe valeu para a escrita desta obra sobre a loucura. E também sobre o amor e a sabedoria, as relações com os outros, atravessada pelo esoterismo.

9 comentários:

Mel disse...

É um óptimo livro!

L. das horas disse...

Faz bem e eu leio pouco! Mas esse li e também gostei muito!

SARA SILVA disse...

eu já tinha este livro na minha lista mas agora fiquei com ainda mais vontade de o comprar/ler! :)

ainda só li um livro do Paulo Coelho até à data e nem gostei muito (Diário de um Mago), tenho lá em casa o Alquimista e é o que irei ler quando terminar os 3 que tenho pendentes, ahahah

beijinhos *
eighteen and a life

Joana disse...

não conhecia :)

xoxo, http://eighteenshadesofglitter.blogspot.pt/

Ruthe disse...

R: O que mais vou precisar é de sorte!
Obrigada!

FME disse...

Já li há alguns anos e já nem me lembro da história, mas lembrou-me que foi o único livro do Paulo Coelho que gostei (detesto o sujeito e os livros dele - exceptuando este e talvez o Brida). Acho que devia reler porque na altura que li era muito miúda, certamente o impacto agora será outro...

Jota disse...

O nome é bem sugestivo, fiquei com curiosidade!

Marta Santos disse...

Imensa gente me fala desse livro. Tenho mesmo de o ler :)

C. disse...

tenho a colecção de Paulo Coelho toda para ler :s aconselhas esse?