6 anos


Para muitos não passa de um simples cantor, para mim é um exemplo de vida. 

Pedaços de mim 6#


Esta semana ficam assim, o que acham?





Tenho saudades da "Ugly Betty" 

Ontem à noite, rebentou um cano aqui na rua. Foi um acontecimento deveras interessante, pois nesta terra do futuro as coisas quando acontecem é  logo à grande. O piquete demorou 1 hora a chegar aqui, mas se fosse para ir beber uma cerveja ao café em menos de 1 minuto já cá estavam. Pronto, tenho dito. 

Desabafo inútil



Tenho saudades de uma boa noite de diversão.

No meu tempo não era nada disto



As amiguinhas do meu irmão têm 10 anos, mas já são muito à frente. Elas já usam fio dental, elas enchem o soutien com meias e collants (antes era o algodão, mas agora é tudo à grande). Mostram as suas unhas de gel, e as suas novas botas de salto alto. Antes os namoros eram atrás dos pavilhões, agora é os linguados que pegam moda. Mas nem tudo está perdido, há pelo menos uma amiga do meu irmão que acha isto fora do normal, e veio-me perguntar como era no meu tempo. Tivemos uma conversa engraçada, mas fiquei chocada com a conversa. 

Já vos leram a mão, cina ou lá como se diz? O ano passado, durante a aula de rádio, uma colega agarra na minha mão e começa a ler, e disse-me coisas que naquela altura não faziam sentido..
Não sou de acreditar nessas coisas, nem quero começar a acreditar, mas hoje percebo o que ela me quis dizer.

Pedaços de mim 5#




Estranha: Olhe desculpe, qual é a cor que usa para pintar o cabelo?
Tim: Não pinto o cabelo.
Estranha: Pois está bem, se não quer dizer tudo bem... obrigada na mesma.
Tim: Eu não pinto o cabelo, esta é a minha cor natural.
Estranha: Sim sim, a fingir que acredito
Tim: -- 

Estou em casa à demasiado tempo.


Estar desempregada leva-me à loucura. Arrumo a casa todos os dias, vejo tv, leio para passar o tempo, procuro emprego e nada. Quando surge uma entrevista, a pessoa "estuda" o emprego para ir bem preparada. No meu caso, imprimo as notícias e reportagens que fiz e levo tudo direitinho, a entrevista corre bem mas quando chego a casa já tenho um e.mail a dizer "Obrigada pelo seu interesse mas a vaga já foi preenchida". Já andei a explorar outros "possíveis" empregos, mas mesmo assim levo com a mesma resposta. A ideia de emigrar está cada vez mais presente na minha mente, mas... o mas é que me põe de pé atrás. Somos jovens e queremos uma oportunidade, seja ela qual for. Tenho uma amiga que trabalha num hipermercado em part-time, mas neste momento faz 8 horas e recebe como se trabalhasse 4 horas, há mais de um mês que não têm folgas. Ela não quer sair de lá, eu também não o largava, mas este país está sem rumo. Ela dá graças à deus por receber "uma esmola", mas esta realidade é dura mas verdadeira. Sinceramente, o futuro deste país mete medo, muito medo. 

Médicos e hospitais


Quando se vai ao médico, uma pessoa tem tendência a ficar em pânico. É normal. Na sala de espera pensa-se nas situações mais bizarras, faz-se um cenário dramático e no fim a situação até nem é grave. Hospitais e médicos são a coisa que mais visitei nestes últimos meses. Apesar das consultas serem de rotina, o medo permanece. Mas há factores que mudam quando somos nós os pacientes. Não gosto de ir a médicos, no meu caso, sou sempre atendida por assistentes da médica de família. A Dr. Ângela é super simpática e acalma as pessoas e não cobra as consultas, já o Dr. Ângelo têm tendência a exagerar e a exigir. Nestas últimas consultas tem sido Dr. Ângela a atender-me. Explicou-me tudo e o que iria acontecer, quais os passos a seguir daqui para a frente. Ter medo de hospitais é normal, mas se tivermos apoio é sempre mais fácil. Como diz a minha mãe - Melhores dias virão. Pensamento positivo e força. 
A minha semana foi assim... é o que dá estar doente

Pedaços de mim 4#


Cá em casa há um vício antes de se ir dormir.

Era tão feliz até ver isto 6#



Porque participei na Secret Story posso ser cantora.... lamento mas não! 
Até a Fanny tem uma música mais original.