Será que já ouvi isto em algum lado?


Linkup- mon etoile




4taste- sei que podes alcançar




Tony Carreira - A cantar



Star academy 4 - en chantant






Michel Delpech- Pour un flirt





Tony Carreira - Sou como sou


Não quero ser má, mas acho que está tudo explicado.

Este mundo não está feito para gordas!

Cada vez mais há a tendência dos homens gostarem delas magras e bonitas, pois dizem, se ela é gorda é feia.
Estes dois sinónimos estão sempre colados, por mais que queiramos negar, não vale a pena. Os homens olham para a beleza e não para a intelegência. Já basta haver uma série Ugly Betty a tentar quebrar este preconceito, mas nem isso...
Palavras ditas pelo outro: Nem vale o esforço... nem dado eu queria...
P.s: Eles é que não valem o esforço, nem sabem o que perdem....mas na mesma fazem chorar ='(

Pekin Express

Um programa de entretenimento que se foca em mostrar a pobreza ou por vezes os mitos de certos países. Bem, mas não consiste só nisso, são pares os grupos, muitos vão com os irmãos ou amigos, mas o melhor é quando é pai e filho. Cedric (neste momento o teclado até desliza) e Gerard foram aqueles que me fizeram cair para o chão de tanto rir e os únicos que me puseram a chorar (o.O). Vou explicar melhor, a 1ª temporada foi desde Paris a Pequim, onde estes viveram com 1 euro por dia. Não tem onde dormir, por isso, quando estes ouvem o bip têm que ir arranjar sitio para dormir, tanto numa casa ou mesmo na rua, a situação mais bizarra foi dormir numa agência funerária (sim é verdade). Quem tiver sorte, passa a noite no quentinho, com comida ou com convívio. Os participantes enfrentam mau tempo, a pobreza e até mesmo a fome. Mas calma. Não é só isto, por dia eles têm que fazer 300km tanto de carro ou através de provas que fazem, que lhes permite transporte.
No entanto, eles podem visitar as aldeias ou cidades mas para isso têm que ser os 1ºs a chegar ao destino que lhes é colocado as 8h. 
Mas porquê é que em Portugal não há um jogo destes. Caso tenhas dúvidas.


Adoro este programa






Aqui uma coisa é certa eles tiveram no Titicaca (sim existe, e adoro o nome, é o maior rio da Bolívia)




Já são poucas as formas de encontrar algo especial, mas se deixar de procurar e começar a dar valor ao que se tem? Coloca ela, já em desespero de não conseguir algo. Terá os seus valores demasiado altos? As perspectivas do ser nunca são as que vemos, são as que conhecemos e que escondemos.
E se este colocar perguntas parvas como, então e aquele trabalho? É para entregar quando? Será isto um motivo de preocupação ou deve ser ela fria? Supostamente não iremos saber.
Eles são confusos? Não transmite qualquer tipo de sinal, deve ser ele claro?
Após a interpretação dos sinais, as conclusões estão tiradas, os dados são lançados, mas o que se passa?
Ele diz o contrário...
Ela chora, grita, e conclui que o que estava mal era ela.
A história repete-se pois não se aprende à 1ª.
Questões? Não.






O amor aparece ou temos que o procurar?
Tempos remotos, levam a crer que ele só surge, quando temos esperança, mas eu defendo outra teoria.
Se for perfeita fisicamente terá mais possibilidade de ter alguém, por muito que queiram negar, não conseguem.
Se tiveres um feitio pouco revelador, pior ainda. O que eles querem, sabemos nós.
Já não há romantismo, o Romeu morreu de vez. O comércio das flores encerram. O cavaleirismo? Esquece...O que resta?
Esperança digo eu!

Vícios!

Todos nós temos um vício, por vezes difícil de admitir. Mas esta semana foi de facto uma conquista para mim. Quem me conhece sabe que devoro as minhas unhas desde os meus 9 anos, até há bem pouco tempo, chamaram as minhas unhas de "unhas de cavalo". Eu sei, não é drama nenhum, mas talvez fora esse elogio, que me levou a pensar que, talvez chegara a hora.
Por vezes nem ligamos aos vícios que temos, e nem nos lembramos que por vezes, esses vícios tornam-se em defeitos que nos podem prejudicar.
Há coisas que vêm por bem, tal como, o vício das notícias, os meus pais já se fartam, mas eu não me canso de ver ou ler as notícias e comenta-las a mim própria.
Tudo tem um fim, tal como os nossos vícios.

                                                    Tal como um dos grandes vícios de hoje, Internet, ainda te lembras como era antes? Será possível viver sem Internet?

Sofrer ou amar? Eis uma boa questão

Pensar é viver, sonhar é relembrar o que não temos. Algo questiona, que se és especial, esse alguém espera e luta por ti. Mas nós não devemos sentir isso?
Qual é a sensação que o homem tem a saber que ele é o 1º grande amor? Para tal é preciso sorte? Ou esperança? Sonhar para isso é estúpido?
Não desabafar não é o que todos devemos de fazer? Contradição não complica?
Quando levas a negação, porque tens tendência a negar o que sentes? Ou logo após a rejeição, tens noção que é a realidade? 
Quando nunca sentiste o amor, qual a intenção de fugir dele? Temos medo? A rejeição anterior não te permite? E quando rejeitas alguém, porque apenas não queres sofrer mais?